IBRAFE é recebido por Pedro Lupion

Por: IBRAFE,

17 de maio de 2024

Responsive image
O Feijão está na pauta do governo. Acompanhar de perto as percepções do governo é parte das atividades do IBRAFE. Há poucos dias, o governo pensava em importar Feijão. Agora, pensa em formar estoques. No entanto, há confusão sobre os preços praticados. Segundo a percepção da CONAB, o preço no Paraná está abaixo do preço mínimo. Mas não é bem assim. O Feijão-carioca está sendo negociado abaixo do valor mínimo de R$ 183,25 por saca de 60 quilos, e o Feijão-preto, a R$ 159,54. O valor que o produtor recebe hoje está ligado à qualidade do produto. Isso se deve às chuvas deste ano, em momento crucial no desenvolvimento das lavouras. Os Feijões que recebem abaixo destes valores não atingem a qualidade que a CONAB espera.
 
Ontem, fomos recebidos pelo deputado Pedro Lupion, que preside a FPA (Frente Parlamentar da Agricultura). Ele queria entender melhor qual é a real situação dos Feijões. Será necessário importar ou o produtor precisa ser amparado? Exportar faz sentido? A principal recomendação do deputado foi: 'pautem a FPA sobre as demandas do setor'. Ter o Feijão em pauta e as instituições federais procurando entender e proteger a produção é fundamental para o Brasil. Mesmo que o mercado se regule rapidamente através dos mecanismos de oferta e demanda, o preço pago ao produtor e o valor entregue na gôndola precisam ser monitorados pelo governo. Garantias ao produtor devem estar prontas para serem acionadas sempre que necessário, ao mesmo tempo em que o consumidor precisa ter acesso dentro de um determinado nível de preço.

Mais
Boletins

Qual o impacto de 3,33 milhões de t de Feijão?
14/06/2024

Produtor não aceita baixar
13/06/2024

Precisamos planejar produção e consumo de Feijões
12/06/2024

Produção do Paraná terá quebra considerável
11/06/2024

Mercado com menor oferta nas fontes
10/06/2024