Agora é a safra de "barracão"

Por: IBRAFE,

02 de outubro de 2023

Responsive image

Durante a semana passada, houve valorização de Feijões-carioca com umidade maior quando comparados com Feijões super secos que acabam dando perdas durante o processamento. Estes Feijões, pode-se dizer, voltaram ao patamar de R$ 220 base Minas Gerais. O Feijão-rajado plantado sem contrato teve relato semana passada de negócios por até R$ 250. O Feijão-preto está tendo poucos negócios de Feijão nacional. Variam as cotações entre R$ 230/260 e argentino por até R$ 290 na fronteira. Há negócios para Feijão-carioca de cores inferiores que serão negociados ainda nos próximos dias abaixo de R$ 200, mas estes feijões tendem a diminuir muito a oferta em outubro.

Produtores nos principais polos de produção desta terceira safra em Mato Grosso, Minas Gerais, Goiás e Bahia definitivamente pretendem durante o mês de outubro fazer valer o final da lavoura e começar a pressionar por valorização dos melhores lotes. Afinal, durante agosto e setembro, a grande maioria dos produtores teve a despesa de carregar para o barracão e também muitos compromissos que venciam foram quitados com a venda de Feijão a qualquer preço. Agora com 95% das lavouras colhidas aguardam a possibilidade de trazer os preços para um patamar mais adequado aos custos atuais. 

Qual é o cenário para o mês de outubro? Vamos analisar o gráfico abaixo onde vemos...

Mais
Boletins

La Niña pior em 70 anos
23/02/2024

Feijão-carioca ganha mais espaço nos pratos
22/02/2024

O TÊNUE EQUILÍBRIO deste momento
21/02/2024

Mercado Firme com boa procura para os raros lotes nota 8,5 ou melhor
20/02/2024

Mercado Firme para os Feijões
19/02/2024