Tem pouco mas parece muito

Por: IBRAFE,

27 de março de 2024

Responsive image

Mercado com negócios de Feijões sem manchas no Noroeste de Minas foram reportados ontem por R$ 250. Este valor não reflete de forma alguma o estoque reduzido que agora há junto aos produtores. Comerciante do Paraná ontem comentava que tem pouco mas parece muito, isto porque quando está para baixar, a tendência de todos é comprar menos do que precisam e postergam a compra ao máximo já quando o viés é para cima ao contrario todos querem um pouco mais.

O que não se tem maiores informações é sobre quanto há de Feijão do ano passado guardado em câmaras frias, mas é razoável pensar que quem carrega até agora o estoque não vai sair vendendo a qualquer preço. 

A safra do Paraná começou, parou e voltará a acontecer em abril; porém, o volume de colheita se estenderá até junho. As baixas ocorridas nas lavouras ainda não chegaram à população, e espera-se que, quando for repassada pelo varejo, isso aconteça e tenhamos aumento de demanda em algum grau. E quanto à safra de Minas Gerais, afetada por quebras com mosca branca, também apontam para um quadro muito diferente do ano passado. Tanto é assim que, nesta segunda safra, segundo a... 

Mais
Boletins

Primeira safra teria sido mais lucrativa para Feijão-preto
23/04/2024

Preços atrativos motivam mais negócios
22/04/2024

Exportação já beneficia o setor e produtividade tem toda atenção
19/04/2024

Tempo e preço: confusões de início de colheita
18/04/2024

Feijão-carioca - Todos no limite
17/04/2024