Brazil Superfoods Summit 2024 explora oportunidades de parceria para segurança alimentar

Por: IBRAFE,

22 de abril de 2024

Responsive image

Feijão e Gergelim são os principais focos das negociações

O renomado economista indiano, editor sênior e comentarista político G. Chandrashekhar adentrou nas dinâmicas intricadas do mercado de Pulses da Índia e suas implicações para a segurança alimentar global no Brazil Superfoods 2024, evento realizado pelo Instituto Brasileiro do Feijão, Pulses e Colheitas Especiais (IBRAFE) e pela Apex Brasil, em Brasília na última semana.

O evento, com o tema 'Parceiros na Segurança Alimentar com Feijão e Gergelim', forneceu uma plataforma para especialistas discutirem estratégias colaborativas entre o Brasil, Índia e outros países para enfrentar os desafios da deficiência de proteínas e aumentar a segurança nutricional.

Posição da Índia no Mercado Global de Pulses

Chandrashekhar enfatizou o papel crucial da Índia como maior produtor, consumidor e importador de Pulses do mundo, conhecidos localmente como 'Dal'. Apesar de serem essenciais para a culinária tradicional indiana, as Pulses enfrentam inúmeros desafios no cultivo, incluindo restrições de terra, escassez de água e vulnerabilidade às adversidades induzidas pelas mudanças climáticas.

Destacando as características do cultivo de Pulses na Índia, Chandrashekhar ressaltou a dependência da agricultura de pequena escala, o uso limitado de insumos e a falta de infraestrutura para pós-colheita. A variabilidade climática exacerbou esses desafios, levando a uma queda na produção nos últimos anos.

Segurança Alimentar

Diante desse cenário, Chandrashekhar enfatizou a importância das pulses para enfrentar a deficiência de proteínas na Índia e aumentar a segurança alimentar. Com o consumo per capita abaixo dos níveis recomendados, uma parte considerável da população enfrenta desnutrição, exigindo esforços colaborativos para fortalecer a produção e disponibilidade de Pulses.

Parceria Brasil-Índia

Reconhecendo a parceria existente entre o Brasil e a Índia no setor de Pulses, Chandrashekhar instou a uma colaboração mais ampla para aproveitar oportunidades ainda não exploradas. Ele elogiou os esforços do IBRAFE em facilitar as relações comerciais entre as duas nações e enfatizou a necessidade de iniciativas estratégicas para penetrar no mercado indiano.

O economista indiano propôs maximizar as exportações de Pulses com potencial de mercado na Índia, como Feijão de olho preto e Feijão-caupi, aproveitando a experiência do Brasil no cultivo de Pulses. Ele defendeu ainda a criação de marcas para Pulses brasileiros para atender ao crescente mercado de pulses embalados e com marca na Índia, direcionando tanto para consumidores varejistas quanto institucionais.

Em conclusão, Chandrashekhar enfatizou a urgência de esforços sustentados para enfrentar a deficiência de proteínas na Índia e aumentar a segurança alimentar por meio de iniciativas colaborativas entre o Brasil e a Índia. A cúpula proporcionou uma plataforma para os interessados explorarem sinergias e traçarem um caminho em direção ao desenvolvimento agrícola sustentável e à segurança nutricional.

Com informações de G. Chandrashekhar 

Mais
Notícias

CNA, Faesp e Cepea levantam informações sobre mercado do Feijão
17/05/2024

Encontros aconteceram em quatro municípios de São Paulo

Safra 2024 terá produção maior de algodão, Feijão, arroz e trigo, diz IBGE
17/05/2024