Austrália investe milhões para produzir gergelim

Por: ABC.net,

14 de junho de 2024

Responsive image

Em um movimento inovador para a indústria agrícola australiana, o país começará a fornecer gergelim cultivado localmente a partir de 2025. Até o momento, quase todas as especiarias utilizadas na culinária australiana são importadas, com apenas 3% sendo produzidas internamente. Um projeto de pesquisa liderado pela Universidade CQ no norte da Austrália está prestes a mudar essa realidade.

Pesquisa e desenvolvimento

A equipe de pesquisa, liderada por Tieneke Trotter, iniciou há quatro anos a plantação de várias culturas, filtrando o foco para as que apresentaram melhor desempenho: gergelim preto e branco, doce e kalonji (semente de Nigella). "É muito emocionante ver uma nova oportunidade, especialmente para os produtores do norte", disse Trotter.

A empresa AgriVentis Technologies, detentora da licença para 12 variedades de gergelim na Austrália, prevê que o gergelim cultivado localmente estará disponível no mercado interno nos próximos 12 meses. O CEO, Lewis Hunter, destacou o objetivo de atingir o mercado australiano de gergelim, atualmente avaliado entre US$ 8 milhões e 10 milhões, abrangendo produtos como óleo de gergelim, confeitaria, panificação e itens farmacêuticos.

Desafios e soluções

Tradicionalmente, o gergelim é uma cultura que exige muita mão-de-obra devido às variedades "sensíveis ao toque” que liberam as sementes tornando a colheita mecânica inviável. No entanto, novas linhas inquebráveis, desenvolvidas em Israel e nos Estados Unidos, podem ser colhidas com máquinas, facilitando o processo. "É por isso que a indústria está caminhando para essas linhagens com vagem resistente, porque isso realmente ajuda a aumentar a capacidade de colheita", explicou Trotter.

Testes e expansão

Os testes iniciais em Kununurra (Austrália Ocidental), Katherine (Território do Norte) e Tully e Emerald (Queensland) mostraram resultados promissores. Katie Gamble, responsável técnica da Estação de Pesquisa Katherine, destacou o desafio de convencer os produtores a plantar gergelim devido ao estigma associado ao gergelim selvagem, visto como uma erva daninha. No entanto, ela acredita que o gergelim tem potencial para diversificar as culturas predominantes, como feno e algodão.

Aaron Kiely, produtor de Queensland, organizou testes de gergelim em sua fazenda e vê a cultura como uma opção de rotação. "Acho que seria mais uma cultura de rotação", disse ele, sugerindo plantar gergelim quando as condições fossem adequadas.

 

Futuro promissor

Apesar dos desafios iniciais, como pragas e clima úmido, a equipe de pesquisa acumulou dados suficientes para orientar os produtores interessados. "Estamos começando a decidir quando plantar a cultura, como administrá-la na estação, quais devem ser as profundidades e densidades de plantio", afirmou Trotter.

O projeto recebeu um investimento adicional de US$ 2 milhões no ano passado para a criação de um centro de pesquisa de gergelim na Universidade CQ, além do aporte inicial. A AgriFutures está expandindo os locais de teste, com novas plantações no norte de Nova Gales do Sul. Peter Vaughan, gerente de comercialização, enfatizou a busca por fontes alternativas de receita para os produtores.

Embora o gergelim australiano possa chegar aos mercados nacionais em 2025, ainda há trabalho a ser feito antes que a produção comercial em grande escala seja alcançada. "Há sempre algo mais para aprender e desenvolver para ajudar os produtores", concluiu o pesquisador, destacando o entusiasmo de fazer parte de uma indústria emergente.

Com informações de ABC.net

Mais
Notícias

Canarana teria se tornado o maior produtor mundial de gergelim
19/07/2024

Pato Branco/PR plantou menos área de milho e mais Feijão, mas produtividade do cereal foi maior do que a do grão
19/07/2024